Em sessão na câmara diretor explica paralisação de atividades da Fundação Hospital e Maternidade de Brejo



Antenor Ferreira

Ao centro o presidente da casa, Daniel Filho, conduz a sessão
Na última sexta-feira, 15, o poder legislativo de Brejo esteve novamente reunido para mais uma sessão parlamentar. Na pauta da casa legislativa estava à apreciação de 21 proposições e requerimentos, e ainda a discussão quanto à paralisação das atividades da Fundação Hospital e Maternidade de Brejo, dirigida pelo cirurgião-dentista Bergson Moraes.

Momentos da sessão legislativa
PEQUENO EXPEDIENTE - A discussão sobre a paralisação das atividades da Fundação atendeu requerimento verbal dos parlamentares Junior Moraes e Olívia Caldas. O presidente da casa, Daniel Filho, encaminhou um ofício ao diretor da unidade, que por sua vez atentou ao pedido, comparecendo a última sessão.



BERGSON MORAES - O diretor da unidade disse que o motivo da paralisação das atividades da fundação é a escassez de recursos.
Bergson Moraes - Dir. Fundação Hospital Maternidade

Bergson disse que a fundação contava com uma ajuda de custo no valor de R$ 35.000,00, repassado pela prefeitura municipal, durante gestões anteriores.

Segundo ele, desse valor R$ 32.000,00 era utilizado no pagamento dos profissionais que atuavam na unidade, sobrando o mínimo para custeio de despesas extras. A prefeitura arcava ainda com o pagamento da energia e água.

Porém nos últimos meses da última gestão não houve mais nenhum tipo de repasse, sendo que ao longo do mandato do ex-prefeito boa parte do acordo firmado com a Fundação não foi cumprido. A exemplo a conservação da estrutura.

O diretor da unidade mencionou que a Fundação encontra-se com várias dividas acumuladas as concessionárias de energia e água.

Bergson fez questão de relembrar o empenho da sociedade brejense anos atrás, no processo de criação da fundação Hospital Maternidade, dizendo esperar que o atual governo possa ajudar no reinício de suas atividades.

Ele disse que independente da resposta do executivo ele e outros parceiros estão em busca de convênios com a esfera Estadual e Federal, acrescentando que esse é um processo em que nada é fácil.

OLÍVIA CALDAS – Sendo uma das responsáveis pelo requerimento que pediu a presença do médico no recinto legislativo, para prestar esses esclarecimentos, a parlamentar Olívia Caldas adiantou que a prefeitura tem extremo interesse em reabrir a unidade, rebatendo comentários indevidos acerca do assunto.

Olívia mencionou que os esclarecimentos do médico foram satisfatórios, e que o município buscará reativar a unidade, o quanto antes.

Outros parlamentares aproveitaram para fazer mais indagações ao diretor da unidade, e sugerir soluções para por fim a sua paralisação.
À esquerda Junior Moraes, seguido por Neuton Martins

Finalizado esse momento foi à vez do vice-prefeito, Chico Caldas, logicamente representando ali o Executivo, fazer suas considerações sobre o tema.

Chico Caldas iniciou falando da importância do funcionamento da unidade, elogiando seu saudoso fundador, Antenor Vieira de Moraes.

O vice-prefeito lamentou o fato de ao longo de anos os governos Federal e Estadual não terem despertado para a necessidade de construção de um hospital público no município de Brejo, havendo apenas uma clinica particular, e a fundação que está desativada.

Ele falou da dificuldade de se manter uma fundação como essa, tendo em vista que o governo prioriza apenas os hospitais públicos, deixando de lado as clinicas particulares e fundações.

Segundo ele, resta como saída à formalização de convênios, citando a Rede Cegonha do Governo Federal.

Chico Caldas disse que ver a Fundação voltar a funcionar é um desejo de todo povo de Brejo, alertando para a participação do Ministério Público na agilidade desse processo.

O vice enfatizou que o hospital Antenor Vieira de Moraes hoje está funcionando a serviço de Brejo, numa estrutura particular cedida, alertando para o tempo em que a Fundação permanece fechada, que pode acarretar danos aos equipamentos ali existentes.

Ele encerrou assegurando a todos que o município não medirá esforços para garantir o retorno das atividades da Fundação, dizendo que falta apenas um consenso no projeto da unidade, para assim formalizar convênios federais, garantindo seu funcionamento.

GRANDE EXPEDIENTE

JUNIOR MORAES – Passado para o grande expediente o parlamentar Junior Moraes, que junto com Olívia Caldas solicitou a presença do diretor da Fundação, aproveitou para agradecer a presença do diretor da unidade, enaltecendo seus esclarecimentos.

OLÍVIA CALDAS – Usando dessa vez a tribuna da casa, Olívia Caldas disse que era muito cobrada pela população, acerca do funcionamento da unidade.

Olívia disse que o encontro que ali ocorrera mostrou que tanto o executivo, como a diretoria da unidade têm interesse em colocá-la novamente em atividade.

A parlamentar respondeu indagações feitas por colegas, sobre o funcionamento das ambulâncias do município, afirmando que os veículos foram recebidos em péssimo estado, e que aos poucos a prefeitura conseguiu colocá-los em funcionamento.

Olívia disse que o município conta atualmente com 03 ambulâncias; duas para viagens mais longas e uma para percursos menores, como Chapadinha, relatando as dificuldades encontradas pela secretaria municipal de saúde, num reflexo que se estende por todo o país, segundo ela.

Ela encerrou fazendo breve explanação sobre seus requerimentos, destacando o em que ela solicita a criação de uma sala de Cursinho, para preparar os jovens para concursos públicos.

ROSA CELIS – Comentou sobre seus requerimentos, com foco ao requerimento que pede recuperação de ladeira na zona rural e trechos de estradas vicinais.

Rosa também referenciou o pedido de construção de uma ciclovia no bairro Zé Gomes, garantindo a segurança e melhoria de qualidade de vida dos moradores do bairro que usam o transporte.

DARLENE COSTA – Agradeceu a presença de Bergson Moraes, dizendo sentir-se feliz por ver que nesse mandato ofícios da casa começa ma ser atendidos, ao contrário do que ocorreu no último ano.

Darlene falou da carência da área da saúde em Brejo e todo Maranhão, enaltecendo a presença do vice-prefeito no recinto, mostrando o compromisso de ambos os lados em colocar a Fundação novamente em funcionamento.

A parlamentar destacou que também deve ser visto o atual estado da unidade, que com certeza carece de melhorias, se colocando a disposição no que necessário, para esse processo.

JOSÉ CARLOS – O 1º secretário da casa comentou encontro com o encarregado de limpeza pública no município, tecendo elogios ao trabalho que está sendo feito na área pertencente ao matadouro público.

Em relação a sua indagação, quanto ao funcionamento das ambulâncias do município, o parlamentar disse que suas críticas serão sempre construtivas.

José Carlos aproveitou para solicitar uma operação de limpeza na praça São Pedro, bairro Zé Gomes, e encerrou fazendo uma citação ao dia mundial do consumidor.

DANIEL FILHO – O presidente da casa endossou as palavras da vereadora Darlene, quanto à falta de atenção aos ofícios da casa, por autoridades e secretários que fizeram parte da última gestão.

Enfatizando o principal foco da sessão (a discussão sobre o funcionamento da Fundação Hospital Maternidade), Daniel Filho disse que o executivo conta com o aval do poder legislativo, que legitimamente representa a vontade do povo.

O parlamentar disse que com o intermédio da Rede Cegonha a unidade com certeza voltará a funcionar.

Ele cobrou a indicação do líder do governo na câmara, a fim de facilitar o intermédio com o chefe do executivo, agilizando as reivindicações da câmara.

Daniel Filho disse que fará um requerimento para implantação do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) no município, assim como a implantação da Farmácia do Trabalhador do Brasil, disponibilizando a população medicamentos a baixo custo.

O presidente da casa endossou o pedido feito ainda em gestão anteriores, de implantação de uma farmácia popular, onde o município forneceria o espaço físico e mão de obra e os medicamentos seriam comercializados a preços irrisórios.

Daniel endossou as cobranças do ver. José Carlos sobre as ambulâncias, taxando-as como crítica construtiva, aproveitando para fazer um requerimento verbal para contratação de um médico ortopedista, sugerindo o profissional, Dr. Beto, que atua em Teresina-PI.

Daniel Filho encerrou dizendo que não mais pode acontecer no município de ambulâncias ficarem paradas por falta de pneus, combustível e outros problemas.

Após foi o momento dos parlamentares apreciarem e votarem os requerimentos colocados em apreciação.


Siga o Interligado no Twitter e Facebook

Gostou da matéria? Então compartilhe!

  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

1 comentários :

  1. o nobre vereador Daniel filho que quase arranca os os olhos do ex zé farias agora fica falando da gestão passada,ninguem sabe quem é mais crapula!

    ResponderExcluir

Sua participação é muito importante para nós.

Scroll to top